Motivos de desistência da prática de exercícios físicos em academia: estudo de caso com mulheres de Pirassununga-SP

Antonio Carlos Tavares Junior, Taynara Citelli Planche

Resumo


A melhora de qualidade de vida e saúde através da prática de exercícios físicos está cada vez mais fundamentada na literatura. Entretanto, muitas vezes, não se estabelece uma rotina regular de exercícios, pois ocorre a desistência, não sendo possível obter os benefícios de uma vida ativa.  Assim, o presente estudo tem como objetivo investigar quais são os principais motivos que levam mulheres da cidade de Pirassununga-SP a desistirem da prática de exercícios físicos em academias, bem como o que as levam a trocar de academia. Participaram desse estudo, 44 Mulheres da cidade de Pirassunga-SP, praticantes de inúmeras modalidades, com idade entre 18 e 50 anos (29,31 ± 9,95). O tempo de prática deveria ser de pelo menos 3 meses, com frequência semanal mínima de 2 vezes, sendo a primeira experiência ou estar voltando a praticar. Utilizou-se um questionário estruturado, que foi encaminhado a cinco Doutores da área da Saúde para apreciação pelos pares. Usou-se de estatística descritiva para análise dos dados. A maioria das participantes (63,6%) já desistiu da prática de exercícios físicos. E com relação àquelas que nunca desistiram, devemos lembrar que 25% estão tendo seu primeiro contato com uma rotina regular de treinamento em academias. A maior parte das participantes nunca trocou de academia (54,5%) e aqueles que o fizeram apontaram a localização como o principal motivo (45%), seguido da procura por melhores profissionais (30%).  Conclui-se que, para essa população, o principal motivo para a desistência da prática regular de exercícios físicos em academia é a falta de tempo, sendo que a localização é o principal fator de troca de academia.


Palavras-chave


Exercícios Físicos; Academia; Desistência;Mulheres

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15600/2238-1244/sr.v16n43p63-70

ISSN Eletrônico: 2238-1244