Correlações entre capacidade aeróbia, capacidade anaeróbia e potência anaeróbia, determinadas por testes não invasivos e específicos para corredores

Mateus Miranda Durante, Thiago Fernando Pires, Vinícius de Carvalho Andrade, Mario Luis de Almeida Leme, Ídico Luiz Pellegrinotti, Fúlvia de Barros Manchado-Gobatto

Resumo


Métodos simples, não invasivos e específicos para corredores vêm sendo bastante aplicados no atletismo. Um deles é o modelo de velocidade crítica, que identifica a capacidade aeróbia (Vcrit), a qual parece apresentar elevadas correlações com índices aeróbios, e a capacidade de corrida anaeróbia (CCA). Outro protocolo é o e Runing Anaerobic Sprint Test (RAST), destinado a determinar a potência anaeróbia. Desse modo, o estudo objetivou estudar as correlações entre capacidades aeróbia, anaeróbia e potência anaeróbia, determinadas por dois testes não invasivos e específicos para a corrida, analisando também o efeito do gênero dos atletas sobre esses parâmetros. Foram avaliados 10 atletas (6 homes e 4 mulheres), submetidos a três baterias desses testes (27 avaliações). Para estimar as capacidades aeróbia e anaeróbia utilizou-se o modelo de Vcrit. O ajuste linear ‘distância vs tempo’ indicou os valores de Vcrit (coeficiente angular) e a CCA (coeficiente angular) da regressão. A determinação das potências máxima (Pmáx), média (Pmed), mínima (Pmin) e índice de fadiga (IF) foi fornecida pelo RAST. Todos os resultados do grupo masculino foram superiores ao grupo feminino, exceto a CCA. Houve correlação significante entre Vcrit e CCA para o grupo todo e para a parcela masculina e ainda de Vcrit com Pmed e Pmin. Conclui-se que, entre as avaliações, não é possível substituir uma em detrimento da outra, necessitando de mais estudos para a compreensão do significado fisiológico da CCA.


Palavras-chave


avaliações anaeróbias; testes não invasivos; especificidade; capacidade; potência; gênero

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15600/2238-1244/sr.v12n31p15-22

ISSN Eletrônico: 2238-1244