Qualidade nutricional da alimentação em escolas de Realeza-PR

Camila Elizandra Rossi, Daiane Aparecida da Silva

Resumo


O objetivo foi avaliar o cumprimento das recomendações nutricionais da Resolução nº 26/2013, na oferta e consumo da alimentação escolar, em duas escolas municipais de Realeza – PR. Analisaram-se 10 preparações por escola e o consumo de frutas/hortaliças de uma semana. A alimentação escolar ofertada aos 6-10 anos foi adequada para energia, carboidratos e lipídeos, excessiva para proteína e insuficiente para micronutrientes. O consumo foi adequado para energia e macronutrientes, mas insuficiente para micronutrientes. A oferta para alunos de 11-15 anos foi adequada para energia, macronutrientes e ferro, mas o consumo teve adequação somente para proteínas; os micronutrientes não apresentaram adequação. O consumo de frutas e hortaliças foi adequado. A oferta da alimentação escolar supriu as recomendações dos macronutrientes para ambas as faixas etárias, porém a oferta dos micronutrientes teve menor adequação. O consumo teve menor adequação que a oferta, indicando problemas com a aceitabilidade da alimentação, especialmente entre 11-15 anos. 


Palavras-chave


Saúde Escolar; Nutrientes; Políticas Públicas de Saúde.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15600/2238-1244/sr.v17n46p3-17

ISSN Eletrônico: 2238-1244