Percepção do agente comunitário de saúde sobre qualidade de vida e qualidade de vida no trabalho

Francisco Rosemiro Guimarães Ximenes Neto, Benedita Tatiane Gomes Liberato, Maria Roselange Guimarães Ximenes, Francisco Diógenes dos Santos, Karla Mara Coelho Ponte de Oliveira, Ana Gerúsia Souza Ribeiro Gurgel

Resumo


O Agente Comunitário de Saúde (ACS), profissional integrante da equipe mínima da Estratégia Saúde da Família (ESF), desenvolve seu trabalho com um olhar voltado para o processo saúde-doença-cuidado das famílias, sujeitos e comunidades, num território adscrito, com o intuito da melhoria da qualidade de vida destes. O estudo objetivou identificar o conhecimento do ACS acerca da qualidade de vida e qualidade de vida no trabalho e descrever o perfil sociodemográfico das famílias, sujeitos e comunidades. Estudo exploratório-descritivo, com abordagem qualitativa, desenvolvida com cinco ACS do território da ESF de Alto dos Honório, zona Rural de Cariré – Ceará, durante o período de março a maio de 2013, a partir de um questionário. De forma singular, existe a compreensão de que a qualidade de vida está diretamente relacionada às escolhas dos hábitos de vida mais saudáveis, associadas à sensação de segurança por sentir-se cuidado pela equipe da ESF e por ter a condição de cuidar da população sob sua responsabilidade. Os resultados apontam que os ACS compreendem parcialmente os conceitos de qualidade de vida e qualidade de vida no trabalho, associando estes a hábitos de vida saudáveis bem como a realização de suas práticas laborais com afeto e responsabilidade.


Palavras-chave


Agentes Comunitários de Saúde; Trabalho; Qualidade de Vida; Prática Profissional.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15600/2238-1244/sr.v18n50p3-12

ISSN Eletrônico: 2238-1244